sito in fase di manutenzione: alcuni contenuti potrebbero non essere aggiornati
 
 ottobre 2019 
LunMarMerGioVenSabDom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031 
CAMPAGNE
MISSIONI

CERCA:

Ministero degli Affari Esteri

Living together - Combining diversity and freedom in 21st-century Europe [Report of the Group of Eminent Persons of the Council of Europe] PDF DOWNLOAD >>

DOCUMENTARIO DEDICATO DA AL-JAZEERA ALLA LEADER RADICALE EMMA BONINO

Cookie Policy

>> O Publico


DEBATE SOBRE DIREITOS HUMANOS REUNIU 800 PESSOAS NO I√ČMEN

Sofia Branco Sana‚Äôa, Yemen - Direitos humanos e democracia reuniram mais de 800 participantes no I√©men durante tr√™s dias. Apesar de fortes resist√™ncias, nomeadamente do Kuwait, a declara√ß√£o final da confer√™ncia que juntou em Sanaa mais de 800 participantes de 52 pa√≠ses, refere-se √† necessidade de dar mais poder √†s mulheres e de aumentar a sua participa√ß√£o em todas as esferas da sociedade. O Presidente iemenita, Ali Abdallah Salah, inaugurou a confer√™ncia e partilhou a convic√ß√£o de que "a democracia √© a op√ß√£o da era moderna para todos os povos do mundo e o barco de salva√ß√£o para os regimes pol√≠ticos, principalmente para os do Terceiro Mundo". A declara√ß√£o de Sanaa, assumindo dez compromissos e debatida durante oito horas, defende ainda a exist√™ncia de sistemas judiciais independentes e da liberdade de informa√ß√£o como requisitos democr√°ticos. Quanto ao Tribunal Penal Internacional (TPI), cujo papel n√£o √© consensual no seio do mundo √°rabe - o Estatuto de Roma foi apenas ratificado, at√© ao momento, pela Jord√Ęnia e Djibuti -, a declara√ß√£o compromete-se apenas a "refor√ßar o papel das institui√ß√Ķes judiciais internacionais", no sentido de assegurar "o respeito pela lei internacional e pelos direitos humanos". De qualquer forma, v√°rios outros pa√≠ses √°rabes deram indica√ß√Ķes de que tencionam ratificar o TPI em breve, nomeadamente o I√©men, o Bahrein, Om√£, Marrocos e o Qu√©nia, revelou Emma Bonino, eurodeputada e fundadora da organiza√ß√£o No Peace Without Justice, promotora do evento que decorreu durante tr√™s dias em Sanaa. A declara√ß√£o √© mais incisiva quanto √† "ocupa√ß√£o", declarando mesmo que aquela "deve acabar nos territ√≥rios √°rabes e nos lugares sagrados para o isl√£o e para o cristianismo". As viola√ß√Ķes dos direitos c√≠vicos e pol√≠ticos dos palestinianos s√£o tamb√©m condenadas. Por outro lado, apesar da declara√ß√£o sustentar a "separa√ß√£o de poderes", refere-se apenas aos tr√™s ramos (executivo, legislativo e judicial) e n√£o √† separa√ß√£o entre religi√£o e Estado, praticamente inexistente nos pa√≠ses isl√Ęmicos. Este tema n√£o chegou sequer a ser levantado. Emma Bonino considerou a iniciativa "positiva". A sociedade civil, mais contundente, apelou ao fim do controlo estatal sobre a comunica√ß√£o social e √† sua consequente privatiza√ß√£o, √† introdu√ß√£o do tema dos direitos humanos nas escolas, √† total elimina√ß√£o de todas as formas de discrimina√ß√£o, √† cria√ß√£o de um comit√© de promo√ß√£o dos direitos fundamentais em todos os Estados √°rabes. Ao mesmo tempo, criticou os EUA por "n√£o utilizarem a posi√ß√£o de superpot√™ncia para fazer o bem".





Altri articoli su:
[ Islam e democrazia ] [ Corte Penale Internazionale e Tribunale Penale Internazionale ] [ ONU e OMD ] [ Conferenza di Sana'a ] [ Diritti Umani, Civili  & Politici ]

Comunicati su:
[ Islam e democrazia ] [ Corte Penale Internazionale e Tribunale Penale Internazionale ] [ ONU e OMD ] [ Conferenza di Sana'a ] [ Diritti Umani, Civili  & Politici ]

Interventi su:
[ Islam e democrazia ] [ Corte Penale Internazionale e Tribunale Penale Internazionale ] [ ONU e OMD ] [ Conferenza di Sana'a ] [ Diritti Umani, Civili  & Politici ]


- WebSite Info